Doenças das artérias periféricas

A doença arterial oclusiva inclui a doença das artérias coronárias, que pode provocar um enfarte (Ver secção 3, capítulo 27), e a doença arterial periférica, que afecta a aorta abdominal e os seus ramos principais, assim como as artérias das pernas. Outras doenças vasculares periféricas são a doença de Buerger, a doença de Raynaud e a acrocianose.

As pessoas com a doença arterial periférica têm, habitualmente, aterosclerose, uma doença na qual a gordura se acumula por baixo do revestimento da parede arterial e estreita gradualmente a artéria. (Ver secção 3, capítulo 26) No entanto, uma oclusão arterial parcial ou completa pode ser o resultado de outras causas, como um coágulo sanguíneo. Quando se processa o estreitamento de uma artéria, as partes do organismo que ela irriga recebem um fluxo sanguíneo insuficiente. A consequente diminuição da provisão de oxigénio (isquemia) pode manifestar-se subitamente (isquemia aguda) ou de forma gradual (isquemia crónica).

Para ajudar a prevenir a doença arterial periférica, deve reduzir-se o número de factores de risco da aterosclorose, como o hábito de fumar, a obesidade, a hipertensão e os valores altos de colesterol. (Ver secção 3, capítulo 27) Outra das causas principais de doença arterial periférica é a diabetes, e por isso um tratamento adequado da mesma pode retardar o desenvolvimento da doença arterial. Uma vez que a doença arterial periférica se manifeste, o objectivo principal é o tratamento das complicações (cãibras nas pernas ao caminhar, angina de peito, arritmias, insuficiência cardíaca, enfarte, icto e insuficiência renal).

Obstrução da irrigação intestinal

A artéria mesentérica superior irriga grande parte do intestino. Quando esta artéria se obstrui, o tecido intestinal inicia um processo de degenerescência até se destruir.