Apêndices

As medidas exactas são necessárias em medicina. Por exemplo, são úteis nas análises de laboratório para medir diferentes substâncias com o fim de avaliar a saúde dum paciente ou estabelecer um diagnóstico. A unidade de medida pode variar em função da substância analisada. Normalmente, é utilizado o sistema métrico, baseado nos múltiplos de 10, para medir massa, volume e comprimento. A massa (quantidade de espaço que um corpo ocupa) mede-se em litros e o comprimento em metros.

Para facilitar e tornar mais clara a leitura dos números, os prefixos indicativos do múltiplo de 10 correspondente são anotados antes da básica da medição como metros (m), litros (l) ou gramas (g). Os prefixos mais comuns costumam ser: quilo (kg), deci (d), centi (cm), mili (m) e micro (µ). Outras unidades medem diferentes características da substância analisada. Por exemplo: um mol é o número de partículas (moléculas ou iões) que a substância contêm. Independemente do tipo de substância, 1 mol equivale sempre ao mesmo número de partículas. No entanto, os gramas contidos num mol variam consideravelmente entre as substâncias. Um mol corresponde ao peso molecular (atómico) de qualquer substância em gramas. Por exemplo, o peso molecular do cálcio são 40 g. Os osmoles (Osm) e miliosmoles (m Osm) referem-se ao número de partículas numa quantidade específica de líquido. Os equivalentes (Eq) e miliequivalentes (mEq) medem a capacidade da substância para se combinar com outras. Um miliequivalente é considerado equivalente a um miliosmol.

São utilizadas fórmulas para converter uma unidade de medida noutra, de modo que a mesma quantidade possa ser expressa em unidades diferentes. Por exemplo, a concentração de cálcio no sangue, normalmente e de forma aproximada, é de 10 miligramas por decilitro (mg/dl), 2,5 milimoles por litro (mmol/l), ou 5 miliequivalente por litro (mEq/l).