Lesões causadas pela imersão

A imersão nas profundidades marinhas ou a que se faz com equipamento subaquático autónomo de respiração (escafandro) pode provocar problemas clínicos, tais como uma embolia de ar (embolia gasosa) e perturbações por descompressão, os quais podem ser mortais se não forem tratados imediatamente. Estes problemas surgem devido à elevada pressão que existe debaixo de água e também podem afectar as pessoas que trabalham em túneis ou em contentores pneumáticos (cubículos fechados para fazer trabalhos de construção debaixo de água) nos quais se usa ar comprimido.

A alta pressão debaixo de água deve-se ao peso desta até à superfície, do mesmo modo que a pressão barométrica (atmosférica) que afecta a terra é provocada pelo peso do ar que se encontra por cima. Debaixo de água, a pressão costuma ser medida em unidades de profundidade (pés ou metros) ou em atmosferas absolutas. A pressão em atmosferas absolutas inclui o peso da água, que a 10 m é de 1 atmosfera, mais a pressão atmosférica à superfície, que é também de 1 atmosfera. Por isso, um mergulhador que se encontre a uma profundidade de 10 m está exposto a uma pressão total de 2 atmosferas absolutas ou, o que é o mesmo, duas vezes a pressão atmosférica da superfície. Em cada 10 m adicionais de profundidade, a pressão aumenta 1 atmosfera.