Infecções por fungos

Os fungos são um tipo de organismo que pode infectar as pessoas. O ambiente está carregado de esporos de diversos fungos e, em geral, eles flutuam no ar. De entre a ampla variedade de esporos que caem sobre a pele ou são inalados para os pulmões, só alguns produzem infecções menores e só raramente se propagam a outras partes do organismo. Alguns (mas poucos) tipos de fungos, como as variedades de Candida, podem viver normalmente sobre a superfície do corpo ou dentro do intestino. Estes habitantes habituais do organismo só ocasionalmente podem causar infecções locais da pele, da vagina ou da boca, mas só muito raramente causam mais dano. Em certos casos, no entanto, determinadas variedades de fungos podem desencadear infecções graves dos pulmões, do fígado e do resto do corpo.

Os fungos têm uma tendência especial para causar infecções em indivíduos com um sistema imunitário deficiente. Por exemplo, os doentes de SIDA ou aqueles que recebem tratamento contra o cancro têm maiores probabilidades de desenvolver infecções micóticas graves. Em alguns casos, as pessoas com imunidade deficiente sofrem infecções causadas por tipos de fungos que muito raramente, para não dizer nunca, causam dano aos indivíduos cujos sistemas de imunidade funcionam normalmente. Entre estas infecções encontra-se a mucormicose e a aspergilose. (Ver secção 17, capítulo 188)

Algumas afecções fúngicas são mais frequentes em certas áreas geográficas. Por exemplo, a blastomicose só ocorre na América do Norte e em África.

Devido a que muitas infecções fúngicas se desenvolvem lentamente, podem passar meses ou anos antes que uma pessoa se aperceba de que necessita de observação médica. Estas infecções podem ser difíceis de tratar e o tratamento faz-se habitualmente durante muito tempo. Actualmente existem vários fármacos antimicóticos. (Ver tabela da secção 17, capítulo 173)