Perturbações dos glóbulos brancos

Os glóbulos bancos (leucócitos) são a defesa do corpo contra os organismos infecciosos e as substâncias estranhas. Para defender o corpo adequadamente, uma quantidade suficiente de glóbulos brancos deve estimular as respostas adequadas, chegar ao sítio onde são necessários e depois matar e digerir os organismos e substâncias prejudiciais. (Ver secção 16, capítulo 167)

Tal como todas as outras células sanguíneas, os glóbulos brancos são produzidos na medula óssea. Formam-se a partir de células precursoras (células- -mãe) que amadurecem até se converterem num dos cinco principais tipos de glóbulos brancos: neutrófilos, linfócitos, monócitos, eosinófilos e basófilos. Uma pessoa produz aproximadamente 100 000 milhões de glóbulos brancos por dia.

A quantidade de glóbulos brancos num dado volume de sangue determina-se automaticamente graças a um instrumento computadorizado de contagem de células. Estes instrumentos proporcionam a contagem total de glóbulos brancos, expressa em células por microlitro de sangue, assim como a proporção de cada um dos cinco tipos principais de glóbulos brancos. O total de glóbulos brancos normalmente oscila entre 4000 e 10 000 por microlitro.

Uma quantidade muito elevada ou muito baixa de glóbulos brancos indica uma perturbação. A leucopenia, uma diminuição da quantidade de glóbulos brancos abaixo dos 4000 por microlitro, pode fazer com que uma pessoa tenha maior tendência para infecções. A leucocitose, um aumento dos glóbulos brancos, pode ser uma resposta perante a presença de infecções (Ver secção 17, capítulo 171) ou de substâncias estranhas ou então o efeito de um cancro, de uma ferida, do stress ou do uso de certos medicamentos. A maioria das perturbações das células sanguíneas deve-se a alterações de neutrófilos, linfócitos, monócitos e eosinófilos. As perturbações relacionadas com os basófilos são muito pouco frequentes.




Medicamentos que podem causar neutropenia

Antibióticos (penicilinas, sulfonamidas e cloranfenicol)
Anticonvulsivantes
Antitiróideos
Quimioterapia contra o cancro
Sais de ouro
Fenotiazinas