Equilíbrio ácido-básico

O grau de acidez é uma propriedade química importante do sangue e de outros líquidos orgânicos. A acidez expressa-se na escala pH, em que 7,0 é o valor neutro, acima deste é básico (alcalino) e abaixo é ácido. Um ácido forte tem um pH muito baixo (cerca de 1,0), enquanto uma base forte tem um pH muito elevado (próximo de 14,0). O sangue é normalmente ligeiramente alcalino, com um pH que varia entre 7,35 e 7,45.

O equilíbrio ácido-básico do sangue é controlado com precisão porque inclusive um pequeno desvio da escala normal pode afectar gravemente muitos órgãos.

O organismo utiliza três mecanismos para controlar o equilíbrio ácido-básico do sangue. Em primeiro lugar, o excesso de ácido é excretado pelos rins, principalmente sob a forma de amoníaco. Os rins possuem uma certa capacidade para alterar a quantidade de ácido ou de base que é excretada, mas isto em geral demora vários dias.

Em segundo lugar, o corpo usa soluções-tampão no sangue para amortecer as alterações bruscas da acidez. Um tampão actua quimicamente para minimizar as alterações no pH de uma solução.

O tampão mais importante do sangue utiliza bicarbonato, um composto básico que está em equilíbrio com o anidrido carbónico, um composto ácido. Quanto mais ácido penetrar no sangue, mais bicarbonato e menos anidrido carbónico se produzem; quanto mais base penetrar no sangue, mais anidrido carbónico e menos bicarbonato se produzem. Em ambos os casos, o efeito sobre o pH é minimizado.

O terceiro mecanismo para combater o pH do sangue implica a excreção do anidrido carbónico. O anidrido carbónico é um subproduto importante do metabolismo do oxigénio e, portanto, é produzido constantemente pelas células. O sangue transporta o anidrido carbónico para os pulmões, onde é exalado. Os centros de controlo respiratório no cérebro regulam o volume de anidrido carbónico que é exalado por meio do controlo da velocidade e da profundidade da respiração. Quando a respiração aumenta, o valor do anidrido carbónico do sangue diminui e este torna-se mais básico. Quando a respiração diminui, o valor do anidrido carbónico aumenta e o sangue torna-se mais ácido. Por meio da modificação da velocidade e da profundidade da respiração, os centros de controlo respiratório e os pulmões são capazes de regular o pH do sangue minuto a minuto.
Uma anomalia num ou mais destes mecanismos de controlo do pH pode provocar uma das duas principais alterações no equilíbrio ácido-básico: acidose ou alcalose. A acidose é um quadro em que o sangue tem demasiado ácido (ou muito pouca base), dando como resultado com frequência uma diminuição do pH do sangue. A alcalose é uma situação em que o sangue possui demasiada base (ou muito pouco ácido), resultando por vezes num aumento do pH do sangue. A acidose e a alcalose não são doenças, mas sim o resultado de uma ampla variedade de perturbações. A presença de acidose ou alcalose fornece um indício importante da existência de um grave problema metabólico.

A acidose e a alcalose podem ser metabólicas ou respiratórias consoante a causa principal. A acidose e a alcalose metabólicas são causadas por um desequilíbrio na produção e na excreção renal dos ácidos ou das bases. A acidose e a alcalose respiratórias são causadas principalmente por perturbações pulmonares ou da respiração.