Perturbações da função sexual

A função sexual normal nos homens e nas mulheres implica tanto a mente (pensamentos e emoções) como o corpo. O sistema nervoso, circulatório e endócrino (hormonal) interactuam de forma conjunta para produzir uma resposta sexual, a qual tem quatro etapas: desejo, excitação, orgasmo e resolução.

O desejo é a inclinação para participar na actividade sexual. Pode ser desencadeado por pensamentos ou sinais visuais ou verbais.

A excitação é o estado de agitação sexual. Durante a excitação aumenta a quantidade do sangue que flui para a área genital, que provoca a erecção no homem e o aumento do clítoris, a congestão das paredes da vagina e o incremento das suas secreções na mulher.

O orgasmo é o ponto máximo ou clímax da excitação sexual. No homem, o sémen é ejaculado pelo pénis. Na mulher, os músculos que rodeiam a vagina contraem-se ritmicamente. Durante o orgasmo, tanto os homens como as mulheres experimentam um aumento da tensão muscular em todo o corpo e a contracção dos músculos pélvicos. Para a maior parte das pessoas, o orgasmo é altamente aprazível.

A resolução, uma sensação de bem-estar e de relaxamento muscular generalizada, segue-se ao orgasmo. Durante a resolução, os homens não são capazes de ter outra erecção durante algum tempo. O tempo entre erecções (período refractário) aumenta geralmente com a idade. Pelo contrário, as mulheres são capazes de responder a estímulos adicionais quase imediatamente depois do orgasmo.

A resposta sexual é controlada por uma interacção delicada e equilibrada entre todas as partes do sistema nervoso. Uma parte do sistema nervoso parassimpático regula o aumento do fluxo sanguíneo durante a excitação. Outra parte, o sistema nervoso simpático, controla principalmente o orgasmo. Uma anomalia no fluxo sanguíneo ao pénis ou à vagina, o dano físico em qualquer dos órgãos genitais, um desequilíbrio hormonal ou o uso de muitos medicamentos podem interferir com a resposta sexual, embora o sistema nervoso funcione adequadamente.

A disfunção sexual pode ser consequência de determinados factores físicos ou psicológicos; muitos problemas sexuais resultam de uma combinação de ambos. Por exemplo, um problema físico pode levar a problemas psicológicos, como ansiedade, medo ou stress, e os problemas psicológicos agravam muitas vezes um problema físico.